Avatar

Jealous Guy*

Anos 80, rock n'roll e Ultraje a Rigor. Pode parar se você está pensando que nas próximas linhas encontrará algo tipo Almanaque Anos 80. Não, não, não. O tema aqui é outro.

Eu quero levar uma vida moderninha

Deixar minha menininha sair sozinha

Não ser machista e não bancar o possessivo

Ser mais seguro e não ser tão impulsivo

Mas eu me mordo de ciúme...”


Isso mesmo, vamos falar de CIÚMES.


Será o ciúme inerente ao humano?


Maybe.

A verdade da verdade é que ele é um sentimento tão antigo quanto a própria humanidade.

E não foi só o Ultrage a Rigor que cantou suas mazelas. John Lennon, Rod Stewart, Shania Twain, Sinnead O'Connor, Maisa, Supla, Kelly Key, Elymar Santos, Cláudia Leite, Dalva de Oliveira também derramaram suas gotas.

Freud já dizia que há um tipo de ciúme normal, que acompanha o sujeito desde a mais tenra idade, algo tipo a rivalidade entre os irmãos e o ciúme do amor entre os pais.

Mas se por um lado ele levantava essa bandeira, por outro, entretanto, nos dizia que, existe uma outra espécie: a loucura de ciúme. Algo que derivava de uma formação delirante, acompanhada da convicção inabalável da traição do outro.

É neste samba do crioulo doido que temos descortinar algumas verdades veladas:


O amor vem sempre acompanhado do desejo de possuir o objeto?


O ciúme é a demonstração de tal anseio de posse?


Serão as mulheres mais ciumentas que os homens?


Quando o ciúme se torna sintoma?


Há um ciúme tipicamente masculino e um feminino?


O que se pode afirmar é que o ciúme flerta com as mais diversas realidades: a encontrada na certeza delirante da loucura, a pretendida pelo ciumento, ou ainda, a da idealização do objeto que se teme perder para outro.

Engana-se quem pensa que o o ciumento não sofre. Quem tem ciúmes é sempre atormentado pela dúvida.

E não só apenas os ciumentos do mundo real. O que a literatura tão bem demonstra, por exemplo, com Machado de Assis e sua enigmática Capitu. Dom Casmurro é a expressão da dúvida do ciumento, só esclarecida na composição de uma teoria que pode chegar a ser delirante. Que o diga o escritor Domingos Proença Filho autor do livro, Capitu Memórias Póstumas. A obra parte em defesa da mais famosa personagem adultera da literatura brasileira. Nela Capitu conta a sua versão da história e defende-se das acusações do ex-marido. No livro, o autor utiliza de técnicas que remetem ao estilo usado por Machado em Dom Casmurro, fazendo recortes de capítulos deste livro, e propondo diálogos com outras personagens literárias como, o Conselheiro Aires, Brás Cubas e Aurélia, do romance Senhora, de José de Alencar..

Outro exemplo mais do que clássico de história de ciúmes é Otelo, de William Shakespeare. Nesta obra clássica da literatura universal, Otelo e Desdêmona são vítimas de um discurso enganoso. Iago emprega a astúcia e a fraude para instaurar a desordem e o caos na vida do casal. Assim, desmorona o mundo da ordem e da bem-aventurança para Otelo, pois ele se vê preso à atroz dúvida do ciúme. Essa paixão o leva a agir conforme os desejos de Iago e por uma questão de honra, Otelo assassina Desdêmona. Um crime totalmente passional.

Como dizia Shakespeare: "Os ciumentos não precisam de motivo para ter ciúme. São ciumentos porque são. O ciúme é um monstro que a si mesmo se gera e de si mesmo nasce."

Essa é uma das melhores definições sobre ciúmes que já ouvi.

Temos que admitir que a categoria dos ciumentos é muito incompreendida. Então, como ciumenta declarada, porém não psicótica, levanto a bandeira: “Ciumentos aliem-se!”

Como em tudo nessa louca vida, também subdividimos os ciumentos em categorias. Afinal, o que seria da humanidade e do capitalismo se não houvessem camadas, camadas e mais camadas.


Então vamos lá.

Ciumento o gato comeu sua língua

É aquele que só falta cair morto, literalmente estirado, mas é incapaz de pronunciar uma só palavra.





Ciumento Beiço de Sola

É aquele que sempre faz biquinho quando está com ciúmes.

Mas continua mudo.





Ciumento Show Bizz

É aquele que faz verdadeiros escândalos em público. Apresentações dignas do Oscar de melhor ator/atriz dramática.




Ciumento Patrulhinha

É aquele que está sempre em alerta para qualquer sinal. É capaz de identificar uma suposta cantada ou um interesse velado a quilômetros de distância.



Brincadeiras à parte. Vamos ver a coisa com seriedade.

O X da questão é quando nos utilizamos deste sentimento para justificarmos atos maléficos, como crimes passionais.

No Brasil, o código penal não traz legislação específica para "crimes passionais", mas há casos de homicídios que tiveram a pena sensivelmente reduzida sob a alegação de estarem sob domínio de violenta emoção, em "justa provocação da vítima", incluindo aí o ciúmes. Este argumento fundamenta-se na crença de que a paixão sexual e o ciúme podem levar qualquer um a matar. Não vejo muito por este lado.

Mas felizmente hoje, os juizes brasileiros não tem considerado mais como atenuante de crimes a alegação de ciúmes, ou de outro impulso movido pela paixão.

Nos países cujas as leis derivam da cultura anglo-saxônica, a alegação de "crime de paixão" não serve como defesa. Ruth Ellis, a última mulher a ser enforcada na Inglaterra, matou o amante num acesso de ciúmes. E pagou o mais alto preço!

Quem quiser que diga o contrário, mas o fato é que todo mundo tem ou já teve ciúmes. Isso faz parte da natureza humana.

Ah, e tem outra coisa. Atenção homens!!! Não vamos ficar por aí dizendo que ciúmes é só coisa de mulher. Não, Na, Ni, Na, Não!!!

Agora rapazes, levem muito em consideração o conselho da escritora, cortesã e patrona das artes Ninon de Lenclos :


"As mulheres não gostam do ciúme do homem que não amam, porém lhes desagrada bastante que o homem amado não demonstre algum ciúme."

Bom, não sei qual é sua filosofia. Mas eu concordo plenamente com o que disse Fernández de Leon:


"Nenhum amor feneceu em razão do ciúme,

pois ele o que faz é juntar um fogo a outro fogo."


Agora só nos resta assistir o clip da música de John Lennon* que deu origem ao título deste post.





10 comentários:

Lou disse...

Normalmente, sou ciumenta patrulinha, mas acho que ser ciumenta tipo o gato comeu sua língua é mais sensato. Mas, o bom mesmo é não ser ciumento. Dá um desgaste enorme e não adianta nada. Se a apessoa tiver que meter um belo par de chifres na nossa cabeça, vai colocar, não importa o quanto vc tenha ou não ciúme.
Bjim

Sylvanna disse...

Menina...estou aqui babando de orgulho de vc.Resolvi te deixar um scrap parabenizando por suas materias que tenho lido,qdo de repente fui dar uma olhada nas fotos pra matar a saudade dos pequenos que nunca mais vi e entao me deparei com seu album do blog.Entrei na Net e descobri um mundo de informacoes MUITO interessantes.PARABENS!!!!Vc e muito criativa e extremamente clara e realista em seus textos.Acaba de ganhar mais uma fa.Aproveito pra deixar um BJO enorme pra toda essa familia que gosto.

Tharsis disse...

Parabéns pelo seu blog!!!!
Nota dez!!! Depois quero uma aulas como fazer um blog tão legal!!! rsrs
Bjaum!!!

Júlia M. disse...

"Engana-se quem pensa que o o ciumento não sofre. Quem tem ciúmes é sempre atormentado pela dúvida."

Fato. Eu SEMPRE sofro pela dúvida... o que me desgasta às vezes, mas não consigo evitar!
Já fui ciumenta show bizz, confesso... hoje eu acho que tô mais pra beiço de sola. Mas ainda tenho muitas paranóias: vejo interesse onde não tem!

Mas mesmo assim, nunca cheguei ao nível patológico de ciúme. Tenho noção de que isso é muito incômodo, e procuro me controlar. Acho que é uma questão de confiar em si, não apenas no outro.

Beijos!

Michelle Guanaes Carrasco disse...

QUE BOM PODER VER SUAS IDEIAS AQUI NESSE BLOG, ADOREI, PARABENS, VC SEMPRE COM IDEIAS NOVAS, SEMPRE SONHADORA, FELIZ ESTOU VIU, BJAO

Anônimo disse...

oi, lembra, na epoca de natal de 2009 quando 4 garotas te abordaram na rua para saber o que vc queria de natal?
bem, somos nós, lembramos de visitar esse blog so agora!!!!!
me manda um email: tetealencastro@hotmail.com
bjsssss
ps: nos adoramos o blog

Maria Rita disse...

Seu blog é muito bom , parabéns. Bj.

Márcia Furlan disse...

Bárbara, adorei o seu blog... bons assuntos colocados de maneira interessante....

Larissa Barreto disse...

Adorei seu blog!!!Sempre que posso leio alguns artigos!!!

Muitos beijos...

Saudades!!!

Cassiano Pontes disse...

Ciumentos vamos no unir!!!
Barbara nos entendeu!!!
Ora, é por isso que ela é BARBARA!

Related Posts with Thumbnails
 
©2007 '' Por Elke di Barros