Avatar

Os 11 baianos da JBS

A empresa de Joesley, a JBS, realizou doações a diversos partidos políticos no Brasil nos últimos anos e alguns nomes da Bahia receberam quantias provenientes da empresa em suas respectivas campanhas no ano de 2014.
São 11 baianos, segundo o portal Transparência Política, da Fundação Getúlio Vargas.
O baiano que mais recebeu em doação da JBS foi Roberto Britto (PP). Sozinho, ele abocanhou R$ 1.100.000,00 para sua campanha, via doação do partido. Já Mário Negromonte Jr. (PP), arrecadou R$ 850 mil da empresa, também via doação partidária.

Confira a lista completa

Alice Portugal – PC do B – R$ 400.000,00

Benito Gama – PTB – R$ 284.774.00

Cacá Leão – PP – R$ 650.000,00

Davidson Magalhães – PC do B – R$ 600.000,00

Daniel Almeida – PC do B – R$ 599.986,00

João Carlos Bacelar – PR – R$ 600.000,00

José Rocha – PR – R$ 300.000,00

Lúcio Vieira Lima – PMDB – R$ 200.000,00

Mário Negromonte – PP – R$ 850.000,00

Paulo Azi – DEM – R$ 100.000,00

Roberto Brito – PP – R$ 1.100.000,00

Avatar

Conheça as 10 empresas que mais doaram para políticos no Brasil

Com a "bomba" lançada pelos irmão Joesley e Wesley, o Brasil foi sacudido por uma avalanche de informações estarrecedoras sobre corrupção, propina, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e financiamento ilegal de campanhas políticas.
Mais enganam-se aqueles que pensam que apenas a JBS praticou a "compra" de deputados e senadores por intermédio do famoso caixa 2.
Sete de cada dez deputados federais eleitos receberam recursos de pelo menos uma das dez empresas que mais fizeram doações eleitorais em 2014. O top 10 dos doadores que contribuiu financeiramente para a eleição de 360 dos 513 deputados da nova Câmara: 70%. É uma combinação estarrecedora de concentração e eficiência das doações por parte das contribuidoras.

Nesse jogo de toma lá, dá cá, fica evidente que as empresas não privilegiam “nenhum partido, candidato ou corrente política”. Ao contrário, elas buscam o mais amplo espectro possível. Afinal, quanto mais "representantes" melhor. Os 360 deputados que elas financiaram estão distribuídos por 23 partidos diferentes. Um verdadeiro esquema de lesa pátria sem precedes.

As Empresas do grupo JBS e J&F distribuíram, oficialmente, R$ 61,2 milhões para 162 deputados eleitos.
O Grupo Bradesco doou, segundo dados oficiais, R$ 20,3 milhões para 113 deputados eleitos por 16 partidos. É a segunda maior bancada empresarial. Ficou à frente do grupo Itaú, que contribuiu para a eleição de 84 novos deputados de 16 partidos. Mas o concorrente foi mais econômico com o dinheiro: gastou “só” R$ 6,5 milhões. Há 42 deputados que foram financiados por ambos os bancos. O Bradesco privilegiou as direções partidárias. O Itaú doou mais a candidatos.
Como setor, as empreiteiras têm a maior presença entre os top 10 doadores da Câmara. Cinco delas entraram na lista: OAS, Andrade Gutierrez, Odebrecht, UTC Engenharia e Queiroz Galvão.
A OAS investiu, oficialmente, R$ 13 milhões para ajudar a eleger 79 deputados de 17 partidos - do PT ao PSDB, passando por PMDB e todos os grandes. Já a Andrade Gutierrez gastou, oficialmente, quase o mesmo valor e ajudou a eleger 68 deputados federais. A Odebrecht doou, oficialmente, R$ 6,65 milhões para 62 deputados, a UTC de R$ 7,2 milhões para 61 deputados, e a Queiroz Galvão, R$ 7,5 milhões para 57 parlamentares. Mas há muitas sobreposições.
Descontando-se as doações dobradas ou triplicadas que vários deputados receberam de mais de uma empreiteira, a bancada do concreto na Câmara tem 214 deputados de 23 partidos. Isso não inclui parlamentares que receberam doações de empreiteiras que não entraram nos top 10, como C.R. Almeida.
O grupo Vale elegeu a terceira maior bancada empresarial. Foram 85 os deputados eleitos - de 19 partidos - que receberam, oficialmente, uma parte dos R$ 17,7 milhões doados pela empresa. 
Como a JBS, outra empresa voltada ao consumo popular se destacou nestas eleições: a Ambev (dona das marcas Brahma e Antarctica, entre outras), que doou, oficialmente, R$ 11,7 milhões e ajudou a eleger 76 deputados de 19 partidos. A bancada do churrasco, que recebeu do frigorífico e da cervejaria, soma 25 deputados.
O rombo deixado da economia brasileira pelas empreiteiras, a JBS e a J&F é assustador.
Se elas foram capazes de causar tamanho estrago econômico ao país, por que ainda não começaram a investigar as outras doadoras milionárias de campanhas?
Aguardaremos!

Veja a lista as Top 10 

JBS

Bradesco

Itaú

Vale

OAS

Andrade Gutierrez

Odebrecht

UTC Engenharia

Queiroz Galvão

Ambev

Avatar

Vamos quebrar a JBS

Esta semana assistimos estarrecidos às notícias sobre a corrupção, canalhice e vagabundagem desenfreada propagada e patrocinada pela JBS.
Mas enganam-se aqueles que julgam-se impotentes perante tamanha roubalheira.
Se você também se sente injuriado, vilipendiado e lesado pelos políticos corruptos e pelos irmãos Batista, que tal demonstrar sua indignação boicotando o conglomerado JBS?
Ideias Barbara´s lança aqui a campanha: Keep Calm and Boicote JBS
Isso mesmo!
Para aderir basta que você boicote a JBS deixando de comprar os produtos fabricados por ela e sua rede.
Disponibilizamos abaixo uma listinha. 
Copie, cole e imprima. 

Leve ao supermercado, ao armazém, ao petshop, quado for realizar suas compras e não coloque em seu carrinho nenhum dos itens que constam nessa lista. Ao lado de cada um dos produtos do Grupo J&F, haverá outro produto de marca concorrente, feito por uma outra empresa (talvez mais lícita...).

Essas são as marcas da empresa:

Proteína animal:
Anglo
Bordon
Excelsior
Frangosul
Friboi
Swift
Lebon
Target
Maturatta Friboi
Angus Friboi
Reserva Friboi
Do Chef Friboi
Seara

Laticínios e Massas:
Amélia
Carmelita
Danúbio
Doriana
Faixa Azul
Franciscano
Leco
Mesa
Serrabella
Vigor
Itambé

Massa Leve


Limpeza (Flora):
Lavarte
Minuano
Assim
Mat Inset
No Inset
Fluss
Brisa
Lavarte
Boa Noite

Cosméticos (Flora):
OX
OX Men
Neutrox
Francis
Hydratta
Albany
Protege
Karina
Phytoderm

Artigos para Animais - Ração
Funpet 

Isso ainda não é tudo. Por meio da J&F Participações, a família Batista controla ou é sócia também de outras empresas e marcas:

Alpargatas

Havaianas

Timberland

Mizuno

Osklen

Sete Léguas

Dupé

Banco Original

Canal Rural

Rádio Rural (emissora de rádio que transmite música nativista gaúcha em Porto Alegre).


Há algo poderosíssimo que todos nós podemos fazer a respeito desse absurdo.
Entre nessa onda, boas compras e #KeepCalmandBoicoteJBS !


Avatar

Explicando "chulamente" o que está acontecendo...

É tanta informação que ficamos meio perdidos nesse tiroteio.
Então, segue aí um resuminho básico para quem quer sacar a parada toda.
Lá vai...
Após ser quatro vezes candidato a presidente do Brasil, finalmente Lula ganhou as eleições em 2002, depois de FHC, socialista de carteirinha, ter feito um esplendido tapetão para o PT. Ganhou o pacote mas não podia chupar as balas porque não tinha apoio no congresso. Como teve que centralizar o discurso, desagradou a base radical do PT. Sob a batuta da idealista Heloísa Helena, que fundou o PSOL depois de tomar um pé na bunda, os excluídos do PT tornaram-se, por um tempinho, opositores. O pobre Lula, operário aposentado por não ter um dedinho, não tinha a simpatia dos caciques do pedaço. Para sanar esse entrave Lulinha Paz e Amor aliou-se ao PMDB. Acabou virando "parça", chapa, camarada de Sarney, Collor, Temer, Jucá, Cunha, etc. Juntos, roubaram felizes e contentes durante 10 anos. Defendiam-se com unhas e dentes de qualquer investida contra a facção que formaram. Em 2009, por exemplo, Lula saiu em defesa do Sarney, envolvido em escândalo de corrupção. Mas, o PT não queria só roubar. Não isso já tava meio chato, "facinho" demais. Era necessário viver perigosamente, imitar os gangsters americanos ou os mafiosos italianos exterminando e inviabilizando qualquer oposição. Aí bum... estouraram o Celso Daniel, o garçon e quem mais tava no caminho. Dom Corleone passou a ser fichinha. Não é segredo que o PT e seus asseclas sempre tiveram essência totalitária. A "quebrada" foi quando os corruptos do PMDB sacaram isso, e ficaram ligados. Então Lula sai de cena e entra a voadora, digo Dilma, carregando na bagagem o mordomo de filme de terror, ops digo Temer, de vice para continuarem tendo apoio no Congresso. Mas o PMDB, ligado na intenção, quis uma fatia maior do bolo. Explodiu aí a guerra de quadrilha. Sobrou impeachment, prisão, delação, operação, sítio, triplex etc. E a "oposição de mentirinha", o PSDB, nada fez para denunciar os coleguinhas porque seus caciques participavam da roubalheira. Ai, essa semana aparece um tal Joesley, miseravão, x-9, sangue ruim, mais malandro que Marcola e Beira-Mar, que passou uma rasteira em todo mundo, revelando uns "paranauês" da cambada toda.
Agora a coisa tá barril dobrado.
Bem resumido
Chupem essa, historiadores!

Avatar

Porque DEVEMOS comemorar o Dia das Mães

Esta semana as redes sociais foram inundadas com uma avalanche de artigos que propagavam a extinção do dia das mães em escolas e no âmbito familiar. A primeira vez que li algo desse tipo, pensei se tratar de uma manifesto anticapitalista, que combatia o consumo desenfreado e a exploração financeira dos sentimentos. Mas não era apenas isso. Era algo muito mais vil, muito mais oportunista e profundo. A real intenção dessas teses, artigos e textos é a destruição o ícone máximo, da estrutura primordial de geração de uma sociedade: a figura da mãe.
Não, isso não é um exagero.
Por trás das palavras mais doces e de uma aparente preocupação politicamente correta, esconde-se o intuito de plantar em cada criatura alcançada a ideia de que referenciar e expressar gratidão e amor por sua mãe é algo torpe, sem importância, cafona e démodé.
Historicamente falando, a ideia de homenagear as mães já era cultivada por Gregos e Romanos, desde a antiguidade. Porém a comemoração mais semelhante com a dos dias atuais iniciou-se na Inglaterra do século XVII. Era o “Domingo das Mães”. Durante as missas, os filhos entregavam presentes para suas mães. Aqueles filhos que trabalhavam longe de casa, ganhavam o dia para poderem visitar suas mães. Portanto, era um dia destinado a visitar as mães e dar presentes, muito parecido com que fazemos atualmente.
Nos Estados Unidos, a ideia de criar uma data em homenagem às mães foi proposta, em 1904, por Anna Jarvis. A ideia de Anna era criar uma data em homenagem a sua mãe que havia sido um exemplo de mulher, pois havia prestado serviços comunitários durante a Guerra Civil Americana. Seus pedidos e sua campanha deram certo e a data foi oficializada, em 1914, pelo Congresso Norte-Americano. A lei, que declarou o Dia das Mães como festa nacional, foi aprovada pelo presidente Woodrow Wilson. Após esta iniciativa, muitos outros países seguiram o exemplo e incluíram a data no calendário.
Como vimos, homenagear as mães não estava atrelado ao fato delas estarem vivas ou mortas, mas sim à ideia de reconhecimento por seu valor e sua importância inexoravelmente significativa para a formação dos filhos, da família, da sociedade, da nação, do mundo. A mãe é a figura que nos incute, nos ensina e nos revela o quão é importante amarmos. Ela é a responsável por plantar em nossos corações as raízes de coisas como solidariedade, amor ao próximo, gratidão e compaixão. Ferramentas vitais para construção de uma sociedade mais justa e humana.
Vivemos em um tempo onde tudo o que vem de Deus, tudo que é divino deve ser profanado, desmistificado, ridicularizado. Diversas correntes políticas e ideológicas propagam a ideia de que a adotar uma religião e crer em Deus torna o ser humano idiota e fraco. Ledo engano. Não ter fé em nada é o que nos torna desumanos, cruéis e insensíveis. Se você que está lendo esse artigo professa uma fé cristã, seja ela católica, protestante ou judaica, com toda certeza conhece os 10 mandamentos. O quarto mandamento fala: HONRAR PAI E MÃE. Deus se manifestou através de Moisés para nos dizer o quanto é importante e imprescindível amarmos, respeitarmos e sermos gratos àqueles que nos deram a vida: pai e mãe.
Se não podemos dedicar apenas um dia por ano a exercitarmos nosso amor, gratidão e reconhecimento, como poderemos fazer disso um exercício diário?
Dia das mães deve ser todos os dias.
Voltando aos artigos e teses que citei lá em cima. Alguns deles justificavam a extinção do dia das mães baseado-se no fato de que existiam crianças que não tinham mães, ou por já terem falecido, ou por serem adotadas. Não vou destrinchar o quão obtuso é esse argumento. Porém vou contar a história de uma amiga, que por motivo de privacidade, chamarei de Y. Quando Y tinha apenas 9 anos, perdeu sua mãe. Uma tristeza absoluta abateu-se sobre Y e seus 13 irmãos, alguns mais novos outros mais velhos do que ela. Mas a vida continuou. Quando conheci Y, ela já era casada, tinha dois filhos e uma carreira bem-sucedida. Em certa ocasião, ela me contou como havia ficado órfã de mãe ainda tão jovem. O mais tocante na sua história foi o seguinte: ainda que não tivessem mais a mãe aqui no plano terreno, todos os anos, ela e os irmãos se reuniam no dia das mães para homenagear sua mãe. Faziam um grande almoço e passavam horas compartilhando histórias e memórias sobre sua mãe. Y tinha todos os motivos do mundo para nunca mais em sua vida comemorar o dia das mães. Mas ela e os irmãos alcançaram a verdadeira e divina essência da ideia: referenciar e agradecer a sua mãe pelo dom mais preciso do mundo, a vida. Tenho certeza que de lá do seu, a mãe de Y assiste a essa homenagem com o coração repleto de orgulho e transbordando de amor. Hoje, Dia das Mães, Y e seus irmãos estão reunidos no grande almoço. E é a mensagem deles que quero transmitir a todos vocês que estão lendo exatas linhas: Não deixem que as desumanas ideias propagadas por correntes políticas doutrinárias arranquem de seus corações o amor e a gratidão por suas mães. Não sejam maria-vai-com-as-outras apenas para receberem o rótulo de “politicamente corretos”. Tenham coragem de impor seus reais sentimentos. Tenham coragem de dizer que é importante sim comemorar o dia das mães. Tenham coragem de dizer ao mundo o quanto sua mãe é importante em sua vida e que dedicar-lhes um dia não é motivo de vergonha, fraqueza ou manipulação. 
Comemorar o dia das mães é uma ato de antes de mais nada, horarmos a nós mesmo por intermédio da figura mais divina que Deus colocou ao nosso lado: nossa mãe.

Dedico esse texto a todas as mães e a todos os filhos que tem a coragem de declarar ao mundo o seu amor por elas.

Feliz dia as mães!


O amor de mãe por seu filho é diferente de qualquer outra coisa no mundo. Ele não obedece lei ou piedade, ele ousa todas as coisas e extermina sem remorso tudo o que ficar em seu caminho.
Agatha Christie



Avatar

2 mil reais

Não sentei para escrever mais um texto sobre a violência, a criminalidade ou as mazelas da nossa sociedade.

Não, não é necessário.

Também não preciso falar sobre a hipocrisia das instituições que se dizem defensoras dos Direitos Humanos apoiando sempre a bandidagem, a vagabundagem e o crime organizado.
Vim aqui falar sobre o valor de uma vida.
Será mesmo que a vida é algo que se pode valorar?
Será que um ser humano pode ser precificado?
Soldado PM Tyrone
Thomaz de Aquino
No domingo passado, Ilhéus acordou em choque com a morte do Soldado PM Tyrone Thomaz de Aquino, um profissional exemplar, um cidadão do bem, uma pessoa muito querida por todos que tiveram a chance de conhecê-lo. Morto de forma covarde e vil, ele estava em uma lanchonete quando foi assassinado por marginais. 
A morte de Tyrone expõem uma ferida aberta, um problema enfrentado por todos os que desempenham a função policial: o risco de morte.
Diferentemente de todas as outras profissões, o desempenho da função policial não acaba quando se finda um plantão, conclui-se uma diligência ou termina-se uma ronda. Ser policial é algo que se carrega consigo, onde quer que se vá. É algo que adere à pele, gruda-se à alma e passa a ser indissociável. Aqueles que defendem a sociedade são marcados a ferro e fogo. Ao desempenhar com eficiência sua função e prender um marginal, um estuprador, um ladrão, um sequestrador, um traficante, o policial pode estar assinando a sua sentença de morte. Foi exatamente isso que aconteceu com Tyrone. Ele morreu por ser um bom policial, por ser um profissional que levava a sério o seu dever.
E o que ele ganhou sendo um profissional digno? 
Qual o reconhecimento ou agradecimento que recebeu por desempenhar corretamente a sua função? 
Infelizmente, vivemos em uma sociedade onde aqueles que doam suas vidas em prol de todos só são reconhecidos e homenageados quando estão mortos.
Os hipócritas defensores da bandidagem, aqueles que se dizem justos e corretos, alegam sempre que policiais são trabalhadores como outros quaisquer, que não defendem a sociedade de graça, que recebem salários para isso, como se qualquer um tivesse coragem de arriscar sua vida ao desempenhar uma atividade laboral. E assim vamos vendo geração após geração crescer e propagar essa falta de reconhecimento e gratidão para com aqueles que são a linha de frente da defesa da sociedade contra o mal e a barbárie total.
Tyrone foi morto a mando do chefe de uma facção criminosa, um bandido que de dentro das paredes de um presídio, ordenou a execução do policial, colocando sua cabeça a prêmio por 2 mil reais.
Isso mesmo!
2 mil reais!
Será que a vida vale apenas isso?
Será que esta é a retribuição por empenhar sua vida em defesa do próximo?
Enquanto todos dormem, policiais adentram lugares inimagináveis, matagais intransponíveis, bueiros fétidos, casas abandonadas...
Enquanto todos dormem, eles estão em alerta máximo, tentando defender pessoas que nunca viram e nem mesmo conhecem...
Enquanto todos dormem no aconchego de suas casas, debaixo dos cobertores, eles estão nas ruas, debaixo da forte chuva, com frio e cansados, madrugadas adentro...
Enquanto todos dormem, eles, mesmo não tendo super poderes, estão prontos para enfrentar o perigo, para desafiar a morte e, quiçá, sobreviverem...
Enquanto todos dormem, eles estão divididos entre o medo da morte e a árdua missão de fazer segurança pública;
Enquanto todos dormem, eles sonham acordados com um futuro melhor, com o devido respeito, com um justo salário, com dias de paz, mas principalmente com o momento de voltarem para casa e de olharem suas esposas, seus filhos e dizer-lhes que foi difícil sobreviver à noite anterior, que foi cansativo e até frustrante, mas que estão de volta e que tem por eles o maior amor do mundo.
Tyrone não voltará para casa, não abraçará seus familiares, não se sentará num barzinho com seus amigos, não mais vestirá seu uniforme em defesa da sociedade. Agora ele será apenas mais um dígito nos índices de criminalidade, mais uma vítima da violência. Seus algozes serão defendidos, protegidos e amparados por instituições que se dizem promotoras da justiça e garantidoras da igualdade e dos direitos. 
Triste é saber que vivemos em um mundo onde a luta pelo bem é uma batalha praticamente perdida.


*** Dedico este texto a todos os policiais, guerreiros anônimos, que deixam suas casas, famílias, amigos e sonhos, encarando a morte no combate à criminalidade, garantindo assim a ordem pública e zelando pela nossa segurança, mesmo que isso custe suas próprias vidas!




Avatar

Morte na Rede: Jogo conduz jovens e crianças ao suicídio.

Perfil de jovem russa, usuária do Baleia Azul, que cometeu suicídio

Com mais 410 milhões de usuários registrados a rede social russa Vkontakte é o quinto maior site do mundo e é também o berço de um jogo mortal que vem levando adolescentes e crianças ao suicídio: Blue Whale (Baleia Azul, em português).
Lançado em 2015 por usuários anônimos, o jogo é uma espécie de lista de tarefas que exige que seus jogadores realizem 50 desafios, um por dia, sempre enviada às 4:20 da manhã. Entre elas, há incumbências físicas e psicologicamente nocivas e prejudiciais, como “furar a mão”, “Ficar acordado 24 horas assistindo filmes de terror”, “esculpir uma baleia no corpo com uma gilete ou faca”, “não falar com ninguém por um dia”, “subir ao topo de um prédio alto e balançar as pernas de lá”. Tudo deve ser registrado em fotos ou vídeos e postados na rede como prova de tarefa cumprida.
Adolescente exibe braço com desenho de baleia
feito à gilete após cumprir tarefa do jogo
A última tarefa é o suicídio, o que segundo os idealizadores e administradores do jogo permitiria que o jogador se tornasse “altamente desenvolvido” e “livre” de preocupações mundanas como o símbolo do jogo, uma baleia encalhada na praia. Além das tarefas, o jogo também impõem regras aos jogadores, tais como “não contar a ninguém sobre nada” e “sempre realizar as tarefas, quaisquer que sejam”.
Crianças e adolescentes que tentam deixar o jogo, recebem ameaças de morte até mesmo contra seus familiares.
Apesar dos esforço do governo russo e da colaboração da rede social Vkontake,  grupos públicos usando a hashtag “baleia azul” ainda se espalham, cheios de fotos depressivas e citações sobre a falta de sentido da vida e protestos contra o mundo cínico dos adultos.
A existência do jogo veio a público em maio de 2016 graças às investigações do jornal russo Nôvaia Gazeta. Estudando dados e causas de suicídios entre adolescentes russos, os jornalistas descobriram que mais de 100 dos jovens haviam cometido suicídio entre novembro de 2015 e abril de 2016 eram membros de comunidades na internet associadas de alguma maneira ao jogo.
A investigação do jornal chamou a atenção do Comitê Investigativo da Rússia. Diversos suspeitos de gerenciar essas comunidades na internet foram detidos e processados por “incitação ao suicídio”. Mas não foi o suficiente.
A agência de controle das comunicações do governo ordenou que o Vkontakte deletasse grupos públicos e posts com a hashtag “baleia azul e outras similares associadas ao jogo e bloqueasse os usuários que as utilizassem. Os administradores do jogo partiram para outro modus operandi: o uso de grupos de conteúdo fechado na rede social.
Isso minou temporariamente o interesse pelo jogo. Mas em fevereiro de 2017 o Centro Público Russo para Tecnologias de Internet registrou um novo pico no número de posts com hashtags ligadas ao Baleia Azul, que começaram a aparecer no Instagram a uma frequência de uma por minuto. 
No total, quase 45 mil posts foram gravados, mas as contas que os publicaram eram falsas, criadas apenas alguns dias antes.
Print do aplicativo Baleia Azul
parabeniza os jovens que chegam
ao último desafio: o suicídio
O governo russo partiu para ofensiva e lançou uma campanha de marketing contra o suicídio infanto-juvenil, fazendo comerciais de televisão e material de esclarecimento sobre toda a problemática que envolve este problema.
Agora o terror enfrentado pelos russos se espalha pela Europa e Ásia.
Já foram detectados adolescentes jogando o “Baleia Azul” na França, Bulgária, Hungria, Romênia, Ucrânia, Polônia, Casaquistão, Belarus e Azerbaijão.
A revista Elle revelou que o ministério francês da Educação enviou um alerta sobre o jogo às chefias de todas as universidades com a chegada do “Baleia Azul” à França.
De acordo com o jornal Le Nouvel Observateur, a e-Enfance, uma organização destinada a proteger as crianças do bullying cibernético, começou a receber ligações de pais amedrontados, cujas crianças haviam topado com o jogo.
Já o semanário VSD entrevistou representantes da educação francesa, que compararam o “Baleia Azul” a seitas e movimentos radicais, com mecanismos de recrutamento muito similares a esses.
A organização polonesa SafeNet, que busca proteger crianças de conteúdo on-line indevido, lançou um alerta oficial de que o jogo apareceu em redes locais e é perigoso.
Além das redes sociais, já fora encontrados aplicativos que disponibilizam o jogo Baleia Azul para download em sites da internet.
É de extrema importância que os pais e responsáveis tenham conhecimento sobre as atividades desempenhadas por seus filhos ao usarem a internet. O perigo pode estar onde menos se espera, até mesmo por trás da tela do computador, dentro da sua própria casa. 

Links

Reportagem do Daily Mail sobre jovem de 13 anos que tentou suicídio ao jogar Baleia Azul
http://www.dailymail.co.uk/news/article-4324514/Blue-Whale-game-leads-boy-13-try-jump-building.html

Reportagem sobre a morte das jovens russas Yulia Konstantinova e Veronika Volkova, ambas jogadoras do Baleia Azul
https://www.joe.ie/news/blue-whale-sick-online-game-linked-130-suicides-russia-579588

Saiba mais sobre o Baleia Azul
http://www.rferl.org/a/russia-teen-suicide-blue-whale-internet-social-media-game/28322884.html






Avatar

Daniela Mercury xinga policiais e familiares ao passar por camarote da PM

Daniela Mercury
De acordo com o site Recôncavo Online, a cantora Daniela Mercury protagonizou a cena mais absurda do Carnaval de Salvador 2017, ao desligar o seu trio elétrico, dar dedo, xingar e incentivar o povo a vaiar os policiais, seus amigos e familiares que se encontravam no Camarote da Policia Militar, ao lado da Casa de Itália, no Circuito Campo Grande. Uma atitude sem precedentes e totalmente ridícula, pra não dizer outra coisa... Lamentável que artistas brasileiros continuem insuflando o povo contra as força de segurança pública, verdadeiras responsáveis por manter a ordem e proteção da sociedade. Registramos aqui nosso total repúdio à atitude dessa cantora.
Veja o vídeo do momento em que o trio é desligado...


video




Confira matéria na íntegra no link abaixo:

http://www.reconcavoonline.net.br/2017/03/01/daniela-mercury-xinga-folioes-ao-passar-por-camarote-da-pm/

Avatar

Cultura popular e a civilização ocidental: algumas considerações relevantes

A cultura popular está mais vulgar, egocêntrica, insípida, hedonista e desumana do que em qualquer outra época de nossa história.
Cultura deveria ser edificante, deveria enriquecer nossas vidas com anseio por conhecimento e apreciação da beleza. Porém, ao invés disso, nas últimas duas décadas a cultura popular pode ser definida como um cano de esgoto que despeja em nossos lares, escolas, ambientes de trabalho e convívio social, uma enxurrada de ícones, ídolos, padrões, normas e conceitos altamente questionáveis, repletos de conteúdos ridículos e qualidade grotesca.
Pela sua própria definição, a cultura popular sempre foi algo produzido em massa, para o consumo da própria massa.
Tenho certeza de que muita gente percebeu que durante os últimos 20 anos, a cultura pop tem se tornado vazia e obscena. Algo que pode ser considerado um ataque deliberado ao bom-senso.
Por que a cultura popular precisa ser tão forçada, artificial, vazia, sem sentido, grotesca e incrivelmente retardada?
Essa é uma pergunta fundamental!
Porque a partir dos anos 1920, os relativistas morais pós-modernistas, amantes da Teoria Crítica (a qual objetivava a destruição total da cultura ocidental) e niilistas do Marxismo cultural começaram a fazer a sociedade perder o controle. O pós-modernismo ansiava por apagar a distinção entre a alta cultura e a cultura popular, desejava virar tudo de cabeça para baixo. Resumindo, eles procuraram remodelar a sociedade a sua imagem. É por isso que tudo está tão feio, desde a arquitetura, à arte, à música, ao entretenimento...
Eles fazem com que tudo fique horrível. E qual o seu objetivo??
Sabotar completamente os fundamentos da civilização ocidental, deixando-a aberta à subversão e à submissão. - Click aqui e veja o vídeo em que Yuri Bezmenov fala sobre isso.
Comecemos analisando a televisão.
Uma infindável representação na TV de famílias desestruturadas, figuras masculinas fragilizadas, instituições degradadas, banalização da violência, niilistas grotescos com aspecto de drogados, estrelas de reality shows que são quase sempre exemplos puros e claros de narcisistas imorais e no limite da loucura, desprovidas de sentimento de culpa e que doutrinam a todos com a ideia de que isto é a realidade de fato, tornando normal a adoção desse tipo de atitude.
Assim, os expectadores começam a pensar que a TV é a realidade que suas vidas são irreais. Tornam-se capazes de fazer qualquer coisa que a TV mostre, aclame, sugestione ou ordene. Se vestem como na TV, comem como na TV, criam seus filhos como na TV e pensam como na TV. Isso é o que podemos chamar de loucura de massa.
Nos decadentes estágios finais de uma sociedade, o comportamento bizarro se prolifera e é legitimado pela cultura dominante. 
Está bem diante de nossos olhos, por trás do brilho que emana da tela de led. Veículos de comunicação fazem da patologia um fetiche, extrapolando qualquer limite. Assim sendo, vemos a exaltação, defesa e repercussão da pedofilia pelo mainstream, veículos de notícia e entretenimento. Em 2015 vimos o site Salon.com, uma das grande plataforma de notícias da internet, conceder espaço para pedófilos. Além disso, sites que expõem artigos e reportagens legitimando o acesso e a exibição da pornografia infantil tornam-se cada vez mais populares.  - Click aqui e conheça a verdadeira história do ativismo pedófilo no mundo.
Cena do seriado The Mick exibido pela Fox
2017 começa e a rede de TV Fox lança uma série chamada "The Mick", que mostra um menino transgênero, de 6 anos de idade, usando em uma das cenas uma mordaça de bola sadomasoquista. Improvável encontrarmos uma imagem mais estarrecedora sendo exibida em horário nobre.
Tudo isso tem a intenção de nos puxar para baixo. Uma vez que absorvemos esse tipo de degeneração, nosso filtro moral é irremediavelmente danificado. Estudos mostram que quanto mais se assiste à TV mais tendência temos a desenvolver depressão.
Uma pesquisa britânica feita em quase 4 mil residências da Escócia descobriu que 66% dos adultos que assistiam a duas ou mais horas de TV por dia eram obesos e tinham taxas muito mais elevadas de depressão e ansiedade. Curiosamente, a correlação entre a depressão e os hábitos de visualização televisiva foi suficientemente forte para que os bons hábitos de exercício não tivessem qualquer efeito benéfico, embora o exercício seja normalmente prescrito como uma medida de combate aos sintomas da depressão e outros tipos de transtornos de humor (estudo publicado no American Journal of Preventive Medicine, 2010).
Surpresos? 
Não deveriam. 
Afinal, tudo isso se deve à visão deturpada, corrupta e deformada da humanidade que a TV perpetua. Estamos sendo criados para a escravidão. Um tipo de escravidão tão hedionda que nos chega apresentada sob o dourado papel da liberdade. 
A cultura popular também é hiper sexualizada. Não é exagero notar que as imagens sexualizadas as quais somos bombardeados todos os dias pela TV, são infinitamente mais liberais do que eram há somente 25 anos atrás. Um dos grandes alvos dessa liberalização são as adolescentes. Um estudo publicado pelo Parents Television Concil mostra que Hollywood hiper sexualiza as meninas, de 12 a 17 anos, mais do que qualquer outro grupo retratado na telinha. Os resultados da pesquisa demonstram que a ânsia de Hollywood não é só por objetificar e fetichizar as meninas, mas sexualizá-las de tal forma que as adolescentes passem a acreditar que o único valor que tem na vida real é a sua sexualidade. O estudo também revela outros pontos alarmantes:
  • Menores de sexo feminino são mostradas participando de um percentual maior de representações sexuais em relação aos adultos (47% e 29%, respectivamente).
  • 93% dos incidentes sexuais envolvendo personagens femininas menores de idade ocorreram dentro de um contexto qualificado como "insalubre" pela American Psychological Association.
  • 75% dos programas que incluíam personagens femininas sexualizadas que não tinham o "S" usado para alertar os pais sobre o conteúdo sexual.
  • Somente 5% das menores de idade comunicaram qualquer forma de desagrado por serem sexualizadas
Cena do filme Boggie Nights - 1997
Até a própria pornografia está ficando mais feia e perversa do que aquela retratada em filmes como Boggie Nights
Está documentado que este processo de hiper sexualização normalizou a traição e a infidelidade. Algo tipo: Se todos fazem, por que eu não posso fazer?
A hiper sexualidade na cultura popular chega a arruinar relacionamentos e gerar casamentos fracassados. A verdade é que a cultura popular está nos deixando tristes e sozinhos.
Outro fator a ser mencionado quando se fala em cultura popular é o culto à celebridade.
Antes, para alguém ser famoso era necessário ter um talento de verdade. Isso, pelo menos a uns 20 anos atrás. Agora o grau de fama que uma celebridade alcança é diretamente proporcional ao volume de depravação que inflige ao mundo. A vulgaridade substituiu o talento. Quanto mais vulgar e ostentoso melhor. Graças às redes sociais, os jovens foram doutrinados nessa ideia de que o narcisismo - não a realização, o sentido ou a autenticidade - é a medida definitiva da satisfação e importância. A celebridade hoje é apenas um reflexo disso. 
Então o que procuramos em nossas celebridades? Talento? Significado? Autenticidade?
Não! 
Buscamos o narcisismo. 
Em 2010, uma pesquisa feita pelo site britânico Into the Blue perguntou a mais de mil jovens de 16 anos de idade, o que eles queriam ser quando crescessem. 54% responderam que desejavam tornarem-se uma celebridade. Porém, quase 70% deles não fazia a mínima ideia de como conseguiriam ser uma celebridade. Não é nenhuma novidade que devido a explosão do narcisismo proposto pelas celebridades, os jovens encontrem-se cada vez mais deprimidos. Os índices de suicídio entre pessoas na faixa de 10 a 24 anos vem crescendo assustadoramente desde 2010. 
Mas por que será que todos sentem-se tão infelizes? 
Talvez seja porque sonhem com algo tão vago e inalcançável para a maioria das pessoas. 
A cultura popular está nos deixando infelizes.
Hoje, as celebridades são mais reverenciadas do que ícones religiosos. Esta é a razão pela qual pessoas de repente viram idiotas histéricos sempre que morre uma celebridade. Idiotas sem nexo homenageiam alguém que nunca conheceram, que nunca encontraram... Em muitos casos, alguém que nem lhes interessava até morrer. É como a competição de choro dos norte-coreanos...
Mas existem celebridades que acordam de seu estado de coma e usam sua influência para cuspirem no prato que comeram, questionando aquilo do que fazem parte. Esses são rapidamente dispensados porque todo o esquema depende de uma completa falta de diversidade, uma intolerância maldosa contra qualquer coisa que seja de fato original ou imprevisível. Por isso que a cultura popular é tão improdutiva. Falando nisso, é de fato muito irônico que um dos shows de talentos de maior audiência em todo o mundo, chame-se The X-Fator. Chega a ser uma piada pois, como todos já intuem, a inserção de talentos verdadeiros levaria todo esse sistema imperante ao colapso.
Falando nisso, vamos agora dar uma "olhadinha" na música popular. O mesmo grupo de pessoas escreve, compõem e produz música para o mesmo grupo de artistas pops. Vai dizer que você nunca teve a impressão de estar ouvindo a mesma coisa? O mesmo processo de batidas eletrônicas, ganchos e entradas repetitivas. A música é menos diversificada, as letras estão mais idiotizadas do que nunca. Vamos pegar como exemplo o Rap. Primeiramente, que fique registrado que eles nem usam mais palavras! Eles usam uma batida violenta para chocar. 
Adolescentes e mães solteiras: elenco do reality
show 16 and pregnant da MTV
Chegamos a um beco sem saída. 
Não tem havido um único movimento musical autêntico nos últimos 25 anos. 
E vejam o que isso produziu: crianças e jovens que ouvem baboseiras como o One Direction.
Ok, é inegável que sempre tivemos um lixo de criações superficiais mas, tínhamos alternativas. Hoje não existe alternativa. Elas não aparecem na TV. A MTV de hoje exibe programas como: "16 anos e grávida" ou "De férias com o Ex". 
Os músicos com verdadeiro talento e autenticidade - é, eles ainda existem - são impedidos de desafiar esse status quo das celebridades musicais. Enquanto isso, Djs sem talento, que apertam botões e usam programas de computador, são endeusados e ovacionados. 
Como a minha geração contribuiu para o avanço da cultura pop nos últimos 30 anos?
Humilhantemente, não fizemos quase nada. 
É possível identificar alguma coisa positiva?
Nos EUA - e por extensão, aqui no Brasil, via Funk -  vimos a ascensão de um fenômeno chamado Gangster Rap, um movimento que incentiva milhões e milhões de jovens a agirem como marginais, criminosos e perversos, fazendo apologia ao uso de drogas, promiscuidade sexual e estilo de vida baseado em crimes. 
Hopsin
Na contramão desse movimento surgiu um rapper americano chamado Hopsin, que diferencia-se da mamada marginal por cantar sobre o quão retardado e destrutivo é um "gangster chic". Um cara que aconselha jovens a ficarem longe das drogas. Mas o que acontece com músicos como Hopsin? Alguns até podem assinar contratos com grandes gravadoras, mas depois somem e seus álbuns não são promovidos de forma alguma. Eles nunca serão super stars porque a mensagem deles é uma verdadeira ameaça para o marxismo cultural, uma ameaça para a identidade tóxica que a indústria musical usa para bombardear os jovens.
Do outro lado de tudo isso está a contra-cultura juvenil. No passado a contra-cultura jovem era impulsionada por estudantes. Eles criaram a contra-cultura que se desdobrou na cultura pop. Mas como os jovens se ocupam hoje? "Espaços seguros", politicamente correto, exibicionismos de virtudes e estudo de gênero. Em que momento ser considerado "descolado" se transformou em "todos terem a mesma opinião"? Quando é que ser badalado, se tornou sinônimo de fazer textões no facebook sobre o quanto se é progressista? 
Theodore Dalrymple
Como disse o psiquiatra e pesquisador britânico Theodore Dalrymple: " A pressão para se conformar com os cânones do gosto popular - ou melhor, a falta de gosto - nunca foi tão forte" 
Todos estão petrificados com a constante vigilância de seus amigos nas redes sociais. 
Reacionário!
Conservador!
Opressor!
Racista!
Machista!
Homofóbico!
Xenofóbico!
E todos nós acabamos sendo forçados a engolir essa cultura pobre, podre e sem fundamento.
Tudo para que passemos a ter afinidade com os colegas e assim sejam aceitos nos mais variados meios. Por isso não existe uma contra-cultura jovem visível. Tudo se baseia na conformidade. As crianças de hoje estão tão saciadas com a enxurrada de entretenimento disponível que acabam não tendo nem disposição ou interesse em se rebelar contra a cultura recebida. Não tem tempo para criarem sua própria opinião, seu próprio visual ou para formarem suas próprias próprias ideias sobre o mundo. Afinal é mais fácil copiar, imitar ou regurgitar o que astros e estrelas do mundo pop fazem ou dizem, seja sobre moda, música, arte, cinema, literatura. 
A cultura foi expurgada completamente. 
Não há contra-cultura. 
Por isso que - com algumas exceções - todos parecem iguais: o mesmo cabelo, a mesma barba, a mesma roupa, as mesmas tatuagens, o mesmo cinismo blazé, as mesmas visões políticas, o mesmo panorama. 
Não há autenticidade nem ousadia. 
Não há individualidade.
Tudo piora mais e mais.
Vejamos mais um aspecto dessa famigerada cultura popular: a arte moderna.
A guerra pós-modernista contra a verdade absoluta gerou a crença maluca de que qualquer coisa pode ser considerada arte: um urinol, um prato de cachorro com ração, restos de limalha de alumínio, hastes de óculos quebrados...
Por que a arte moderna exigia talento, exibindo a beleza ou sendo por ela inspirada, acabou sendo ignorada em favor do que podemos considerar literalmente um lixo?
Nem vou mencionar a chamada arte conceitual... 
O decreto pós-modernista - em que literalmente tudo deve fazer parte do movimento de justiça social - também acabou inspirando as feministas a mostrarem os sinais da menstruação (mais especificamente, o sangue menstrual) como arte. Uma bunda gigante foi indicada ao Turner Prizer, concedido pela Tate Gallery, prêmio que teria o objetivo de celebrar os novos desenvolvimentos e contribuições para arte contemporânea. 
Esqueça a completa imbecilidade. Estamos vivendo a completa idiocracia. 
Ou seja, os anos se passam e a humanidade se torna mais estupida, a uma velocidade assustadora.
Voltando à bunda gigante. Qual o sentido de refletirmos sobre o significado profundo de uma escultura que retrata um orifício anal de 1,80 m? 
Isso ainda não é tudo.
Paralelo a isso, vemos obras de arte no mundo inteiro sendo renomeadas pois seus nomes originais podem ser considerados "ofensivos" pela massa popular. Não, isso não é uma piada. Foi o caso do Rijksmuseum, em Amsterdã, que em 2015 alterou os títulos de mais de 350 peças de sua coleção, por estes serem considerados "inadequados" por um público moderno.
No âmbito do teatro, a coisa não é diferente.
Nós passamos por Shakespeare e Oscar Wilde e acabamos desaguando em algo grotesco e descabido como a famigerada peça brasileira Macaquinhos, onde atores totalmente nus realizavam uma insana performance de exploração dos ânus uns dos outros.
Caminhamos assim: algo que deveria ser grandioso acaba por se tornar algo monstruoso e repugnante. 
O que deveria nos inspirar, nos torna insensíveis. 
Reality Show Geordie Shore
Quando a feiura é venerada como algo belo, nós percebemos que estamos na fase final de degradação de uma civilização. 
A cultura popular é tão evasivamente vulgar que geralmente é vista como um dos fatores para a radicalização dos terroristas islâmicos. Geordie Shore e Miley Cyrus, na verdade são vistas pelos terroristas como um motivo legitimo para se atacar o ocidente.

Piss Christ
Quando defendemos a civilização ocidental não nos referimos à cultura popular. Estamos falando de coisas como a Capela Sistina, não de algo tipo a grotesca obra de Andrés Serrano, Piss Christ (1987), exposta em 2012 pela galeria Edward Tayler Nahen, de Nova York, que consiste em uma fotografia de Jesus Cristo na cruz submerso em um recipiente com urina.
Estamos falando de Bethoven e não do Justin Bieber. 
O verdadeiro significado por trás da malha riquíssima de nossa herança cultural foi esquecido. A cultura popular como é vista hoje representa de fato uma ameaça direta à civilização ocidental, uma vez que ela acaba por favorecer nossa própria auto-degradação.
Nossa civilização está começando a desmoronar.
A história já nos mostrou isso repetidamente através dos tempos. 
Há uma cultura que não acredita mais em si mesma.
Se permitirmos que fotos a perereca da Madonna ou da bunda da Beyoncé, representem aquilo que defendemos, independentemente da superioridade moral que nossos ancestrais alcançaram, seremos destruídos em apenas mais uma geração.
É por isso que precisamos atacar constantemente esta noção de que a cultura popular representa a civilização ocidental. Ela não representa. O uso da cultura popular como arma conforme descrevemos aqui, não passa de uma reafirmação do Marxismo Cultural. A transformação da cultura que fundamenta nossa sociedade em algo completamente inútil e conseqüentemente sem rumo pode ser facilmente suplantada. Precisamos rejeitar a cultura popular imperante e todas as suas terríveis e grotescas formas de desumanidade. Precisamos incentivar um novo renascimento cultural que, seja novamente, inspirado na beleza, no talento e na exaltação da realização humana. Precisamos reinventar nossa cultura.

Links

Link para artigo sobre Teoria Crítica
http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2014/01/teoria-critica-uma-estrategia-para.html

Link para artigo sobre niilismo
https://www.significados.com.br/niilismo/

Link sobre a matéria do site Salon.com - I´m a pedophile not a monster
http://www.infowars.com/no-salon-com-i-dont-need-to-understand-the-plight-of-pedophiles/

Link para o artigo - 5 Things I learned from being addicted to child porn
http://www.cracked.com/personal-experiences-2433-i-cant-stop-living-with-addiction-to-child-porn.html

Link para estudo sobre influência da TV no desenvolvimento da depressão
https://www.elementsbehavioralhealth.com/featured/is-watching-too-much-tv-making-you-depressed/

Link para estudo sobre a sexualização das adolescentes na TV
http://www.vibe.com/2010/12/study-shows-teen-girls-being-targeted-hypersexualization-tv/

Link para matéria sobre pesquisa do site britânico Into the Blue
http://www.independent.co.uk/news/education/education-news/fame-the-career-choice-for-half-of-16-year-olds-1902338.html

Link sobre Gangster Rapper ou Gangsta Rap
https://en.wikipedia.org/wiki/Gangsta_rap

Link para pequena biografia de Theodore Dalrymple
https://pt.wikipedia.org/wiki/Theodore_Dalrymple

Link para matéria sobre alteração dos nomes das obras do Rijksmuseum
http://edition.cnn.com/2015/12/14/world/rijksmuseum-renaming-artworks/

Avatar

Ladrão se dá mal depois de assaltar na Praia de Ipanema

Ladrão apanha de banhistas na Praia de Ipanema

O dia não foi bom para um assaltante que resolveu fazer um "servicinho", na tarde desta quarta-feira, nas areias de Ipanema, Rio de Janeiro
Capturado por de banhistas, após roubar uma mochila, o meliante levou uma surra exemplar. 
O assalto aconteceu por volta das 14h30m, entre os postos 8 e 9. Dois homens que viram o roubo conseguiram alcançar o criminoso e recuperar a bolsa.
Após apanhar, o ladrão acabou liberado pelos rapazes. Testemunhas contaram que não havia policiamento na região e, por isso, o bandido acabou solto. 
Isso é que acontece quando cidadãos de bem se indignam com a impunidade dos marginais.
Afinal, o mal prospera onde o bem se acovarda. 
A sociedade está saindo do transe sorumbático plantando no inconsciente coletivo pela ideia ilusória de que os direitos humanos são a saída para regeneração de vagabundos.
Chega de impunidade. 
Chega de sermos reféns de bandidos que matam, roubam, estupram, sequestram e continuam soltos.
O povo cansou!


**Por meio de nota, a Polícia Militar informou que não foi acionada para a ocorrência e acrescentou que a segurança na região onde ocorreu o assalto é feita "por duas rádio patrulhas, além de policiais do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) e do Policiamento Geral de Praia".


Link para Notícia
http://oglobo.globo.com/rio/ladrao-espancado-por-banhistas-apos-assalto-na-praia-de-ipanema-20727776

Related Posts with Thumbnails
 
©2007 '' Por Elke di Barros