Avatar

Maria Madalena


Declaradamente sou uma estudiosa de Maria Madalena. Já li e pesquisei muito sobre esse tema. Não quero influenciar ninguém a acreditar no que hoje creio.

E acreditem: vai muito além do Código da Vince.
Em primeiro lugar, você alguma vez já havia parado para pensar em quem foi Maria Madalena?
Muitas pessoas habituaram-se à ideia, propagada durante séculos, de que ela não passava de uma mulher adultera, uma prostituta. Eu mesma nem contestava isso.

Mas eis que um dia uma professora da faculdade, Eliane Carvalho, levantou uma hipótese interessante: Será mesmo que o homem foi à lua em 1969? Ela mostrou argumentos prós e contra. Deixou que tirássemos nossas próprias conclusões. Fiquei com a pulga atrás da orelha. Depois vieram aulas e aulas, debates e debates sobre a imparcialidade no jornalismo. Tudo encabeçado pelo mestre Dylmo Elias. Por fim cheguei à conclusão: Ser imparcial é contrário à natureza humana. Todos tendemos para algum lado, mesmo que não declaremos.

Ah, agora você deve estar pensando o que Maria Madalena tem haver com tudo isso.

Explico.
Um dia me veio a ideia: como podemos acreditar piamente num livro, no caso a Bíblia, se qualquer texto pode ser editado, censurado, alterado?
Passei a pesquisar suas origens. Ainda estou muito longe de ser qualquer outra coisa além de interessada. Mas venho compartilhando minhas descobertas com amigos e conhecidos. Muitos se vêem surpreendidos. A maioria nunca tinha se questionado sobre:


*Quem transcreveu a Bíblia para o nosso idioma?

*Quando ela foi escrita?
*Por que só há grandes relatos de 4 apóstolos no Novo Testamento?
*Por que as mesmas histórias são contadas de maneiras diferentes por eles?
*Por que não há um evangelho segundo Jesus?


E isso é só o começo. Depois de levantada a primeira lebre, centenas pulam da cartola.
Bem, vamos começar com a origem. A Bíblia como a conhecemos, foi fruto da edição do Concílio de Nicéia, de 325 D.C.
O culto a Jesus e suas idéias tomava vulto e ameaçava o império romano. O então imperador Constantino elaborou um interessante subterfúgio para agradar romanos e cristãos: uma nova religião. Convocou autoridades políticas e religiosas (318 bispos compareceram, o que era apenas 18% dos que existiam naquele tempo). Ele precisava estabelecer parâmetros passíveis de manipulação, para tornar possível o surgimento da nova crença.
Constantino declarou a nova fé, intitulando-se seu representante supremo, o enviado de Deus à terra.

E assim sendo, após intensos debates, em 19 de Junho de 325, concílio promulgou o credo de Nicéia, ou a Divindade de Cristo. Criou também a Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo), para aplacar os politeístas desvairados, explicando-lhes que o novo Deus era uma espécie de 3 em 1. Também decretaram a virgindade de Maria e expurgaram qualquer menção à Maria Madalena a não ser a que se tornou conhecida ao longo dos séculos. 

Constantino queimou registros e textos que contestassem seus ditames, executou bispos ou qualquer outro que se declarasse contrário a sua nova doutrina. Ao final, surgiu a Igreja Católica e a Bíblia, incontestáveis sob qualquer aspecto.

Poderia me alongar em milhões de detalhes, concílios, reuniões e desdobramentos, mas vou encurtar a história.
Durante muito tempo não se questionava o papel de Maria Madalena. Apesar disso, ele não passou despercebido, e muitos escritores e artistas teorizavam sobre ela e a idolatravam. Mas em 1945, uma escavação no Egito descobriu uma série de manuscritos que remontavam ao tempo de Cristo. Após estudos, exames, restaurações e decodificações, descobriu-se que seriam, supostamente, os evangelhos expurgados por Constantino: Pedro, Felipe, Tomé, Bartolomeu, Tiago, Marcião, Matias, Nicodemos e pasmem, Maria Madalena. Esses e outros textos encontrados ficaram conhecidos como Evangelhos do Mar Morto, Evangelhos Gnósticos ou Evangelhos Apócrifos. Todos compõem o que hoje se chama Biblioteca de Nag Hammadi.
Agora te peguei. Acho que muito pouca gente sabe que existe um evangelho segundo Maria Madalena.
Bom, então quem foi Madalena?
Há várias teorias:


*Esposa de Jesus;

*Irmã de Lázaro (o leproso);
*Amiga de Salomé (que dançou pela cabeça de João Batista)
*Aluna da Virgem Maria...


Mas todas seguem um mesmo trilho: ela era uma discípula de Jesus. Isso explica porquê há um evangelho.
Eu, particularmente, também acredito na hipóteses dela ter sido esposa de Jesus. Existem muitos indícios disso. Se fosse falar todos eles, vixe, ficaria horas. E não é só isso. Eles teriam tido pelo menos uma filha, de nome Sara, que mais tarde se tornaria conhecida como Santa Sara Kali, protetora dos ciganos, meu povo por parte de pai.

Minha língua coça quando falo nesse assunto. Então vamos lá. Querem saber porque acredito que Madalena era esposa de Jesus?

Tem muito haver com as antigas tradições judaicas e passagens descritas no Novo Testamento. Quem já leu um pouco deve conhecer a passagem em que uma Maria lava os pés de Jesus, ou a passagem em que Cristo é ungido com óleo de Nardo por outra Maria, ou a descrição da ressurreição quando a primeira pessoa para quem Jesus aparece é Maria Madalena. Todas essas Marias são Maria Madalena. Isso já foi admitido pela Igreja Católica. Na antiga tradição judaica cabia à esposa lavar os pés do marido, bem como ungir sua cabeça com óleos aromáticos em determinadas situações. Bingo!
Nos evangelhos do Mar Morto essa relação é explicitada de forma bem aberta. Em seu Evangelho, São Felipe diz:


“... a que acompanha (o Salvador é) Maria Madalena. (Mas Cristo amava-a) mais que (todos) os discípulos, e costumava beijá-la (freqüentemente) nos lábios. Os outros (discípulos ofenderam-se)... e disseram-lhe: "Por que tu a amas mais que a todos nós?"

O Salvador respondeu e disse-lhes: "Porque eu não os amo como(amo) a ela?... Grande é o mistério do casamento - sem ele o mundo não existiria. Agora, a existência do mundo depende do homem e a existência do homem do casamento"
Existem estudiosos que defendem a tese de que o Cântico dos Cânticos é uma evidente passagem sobre a história de amor entre Jesus e Maria Madalena.
Há aqueles que também defendem a ideia de que o Apocalipse do Novo Testamento (que é atribuído a São João) tenha sido escrito por Maria Madalena.
Outros dizem que teria havido um Evangelho segundo Jesus. E este teria sido o verdadeiro motivo para que a Igreja Católica exterminasse os Cátaros. Achava-se que eles seriam seus guardiões.

Há uma igreja antiga na Escócia, em Kilmore - dervaig, onde podemos encontrar um vitral com a imagem de Jesus e Maria Madalena grávida!

Mas uma certeza me atordoou: descobri que São Marcos e São Lucas nunca foram discípulos de Jesus!
Porém a pergunta que não quer calar é: “Por que Madalena teve seu papel omitido?”
Imaginem que se ela realmente foi esposa de Cristo, se tiveram filhos, Jesus tinha descendentes diretos. E quem melhor do que seus descendentes para continuar sua missão? Era um risco que Constantino não poderia correr. Então, apagando as referências à Madalena, ao casamento, aos filhos, ele acabaria com a possibilidade de uma rebelião de proporções gigantescas, em prol dos descentes vivos de Cristo. Algo contra o que o Império Romano talvez não pudesse lutar.
A história é sempre a mesma: a manutenção do poder.
Bom, depois de tudo isso, espero que não tenham ficado perdidos, feito cegos em tiroteio.
Se quiserem saber mais indico os livros:


*O Legado de Madalena

*O Santo Graal e a linhagem sagrada
*Maria Madalena


p.s. vale a pena ler também, apesar de ser um romance de ficção, o livro “O segredo do Anel”, a descrição do martírio e crucificação de Jesus é emocionante, me levou às lágrimas.

Related Posts with Thumbnails
 
©2007 '' Por Elke di Barros