Avatar

Priscila no Brasil

Paradas Gays.
Há muito quero escrever sobre este tema, mas ao mesmo tempo evito.

É um tema polêmico e um tanto quanto delicado. Nos dias de hoje, basta qualquer palavrinha errada para sermos logo taxados de “Homofóbicos”.
Não quero, de maneira nenhuma, desmerecer ninguém por sua orientação sexual. Com quem nos relacionamos é algo pessoal, íntimo de cada um. O livre arbítrio está aí para isso mesmo.
O que quero debater é sobre a real necessidade das Paradas Gays. Como evento festivo, são, sem sombra de dúvida, muito alegres e contagiantes. Mas, ao olhar de fora , sempre me questionei sobre sua real funcionalidade.
Distribuir camisinhas, cartilhas e panfletos. Orientar, informar, educar, prevenir, realizar exames rápidos. Com certeza nobres objetivos.
Mas será mesmo necessário realizar um outro carnaval para fazer isso?

Bom, não sei se sabem, mas o Governo Brasileiro é o principal patrocinador das Paradas Gays. Existem verbas específicas para isso. Para se ter idéia, apenas a Parada Gay de São Paulo Edição 2008 recebeu R$ 920 mil reais dos cofres públicos do município e da federação, além de receber incentivos financeiros de estatais como a Caixa Econômica Federal e a Petrobrás.
Além disso, o número de paradas gays está aumentando a cada ano no Brasil tendo ultrapassado a marca das 100 em 2006. Hoje, nós somos o país com o maior número de paradas gays do mundo!
Agora pergunto: Se falta dinheiro para tantas coisas como escolas, remédios, policiamento, hospitais, habitação, saneamento básico, de que maneira podemos gastar milhões e milhões de reais com uma festa ?
Isso não faz sentido!

Concordo que os gays sofrem preconceito e discriminação. As paradas vieram com o intuito de exacerbar o orgulho gay, defendendo os direitos de uma minoria, até então reprimida, e colocada à margem da sociedade.
Conseguiram. Mas agora chegou a hora de acontecerem, única e exclusivamente, com o patrocínio da iniciativa privada.

Foi muito justo o governo dar o primeiro impulso para que esses movimentos acontecessem mas, chega de empregar recursos públicos nisso.
A verba pública que é oriunda do pagamento de impostos do trabalhador deve ser destinada para o bem comum, como a construção de escolas, de unidades de saúde e saneamento básico, tudo mais que atinja a coletividade, o maior número de pessoas possíveis. Em momento algum, independentemente de seu credo ou orientação sexual, devemos esquecer disso.


  • Quantas escolas se fariam ou reformariam com o dinheiro destinado às paradas gays?
  • Quantos hospitais e postos de saúde?
  • Quantas crianças poderíamos alimentar?
  • Quantas casas populares poderíamos erguer?
  • Quantas redes de saneamento básico poderíamos ampliar?
  • Quantos medicamentos e vacinas poderiam ser disponibilizados às pessoas de baixa renda?

Ser gay não é, nem nunca será prerrogativa para ser menos capaz.
Mas ser analfabeto ou subnutrido, sim!

Então o que vale mais:
O trio elétrico tocando “I Will Survive” ou a criança que passa fome no Nordeste?
Falta colocarmos os pesos e as medidas.
Até que ponto é justa a atual equação:

Liberdade Sexual + Direitos Iguais = Financiamento Público?

Fica a indagação!




"Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir."

George Orwell - Escritor

13 comentários:

Luciana Arthuro disse...

Gente, não fazia idéia de quanto dinheiro se gastava. Bom Texto, informações valiosas. Parabéns, Barbara.

Pedro Zanota disse...

I will survive? Demorou. Gostei. O governo não tem mesmo que dá dinheiro pra isso.

Sérgio Moreira disse...

Que coisa ridícula. Não é função do Ministério da Saúde ficar dando dinheiro pra desfiles carnavalescos ou supostos combates à tal "homofobia". O que estas ONGs gays praticam, juntamente com seus comparsas no governo, se chama ROUBO e CORRUPÇÃO.

Joca disse...

Quanta falácia, quanta roubalheira e palhaçada com o dinheiro do povo!

Lorena Canvatis disse...

Eu me envergonho dos meus líderes que esquecem de destinar verbas para coisas prioritárias. Tantas pessoas numa fila de hospital do SUS a espera de uma cirurgia realmente necessária... O governo vira as costas para as reais necessidades. Porque não investir em transplantes? Neste caso, gays ou não, a população toda será beneficiada. Essa minoria não é tão refém assim.

Erick Oliveira disse...

Inicialmente a Parada Gay TINHA uma bandeira, que era lutar pela igualdade de gênero. Passado uma década, o que restou da bandeira da parada? Esfarrapou-se pelo caminho e a parada virou uma grande RAVES onde se consome drogas como LSD, ECSTASY, álcool e outros tipos de drogas. É lamentável que a bandeira da parada "parou" no tempo, ou melhor, perdeu-se no meio das brigas, dos roubos, das drogas e da promiscuidade que acontece nas avenidas onde passam as diversas PARADAS GAYS no Brasil, e por quê não dizer no mundo!

Daniel Bezerra disse...

quando vamos realamente pregar a ihualdade de direitos. Igualdade não é sinônimo de Libertinagem. Temos que dar condições dignas de sobrevivência às nossas crianças e naõ fomenta a promiscuidade deste tipo de festa. Excelente texto.

Guilherme Avila disse...

Bárbara,
Excelente o texto!
Concordo com o que voce disse.

SR. disse...

Você sempre ímpar em seus textos. Coloca-nos a conhecer as sujeiras que são escondidas sob os tapetes dos nossos governantes. Ver a imbecilidade das paradas gays nos estimulam a pensar no que Dr. Rui Barbosa disse: "Chegará o tempo em que o homem terá vergonha de ser honesto". É acho que esse tempo chegou! Porém acredito que podemos corrigir esse erro; chega de financiar espetaculismo de gritos horrorosos de que o "brasil é gay". Isso sim que é uma falta de respeito a todos, inclusive, aos proprios gays como falou sabiamente o próprio Clodovil.
Chega de colocar sujeira embaixo dos nossos tapetes.

Duda disse...

Parada Gay? Isso já caducou. Devia mesmo ver patrocinado pela iniciativa privada. Valeu, Barbara.

Luiz Matias disse...

Curiosidade: os números parecem não bater. São Paulo tem 10 milhões de habitantes. 5 milhões estiveram na "Parada Evangélica". 3 milhões foram na "Marcha para os Gays". Sobram apenas 2 milhões de pessoas, que assim como eu, não nasceram nesta cidade. Que coisa!!1Olha, Barbara mandou muito bem. É isso aí.

Ryan F. disse...

Tem gente doida pra tudo. Dizer que a parada gay traz mais imposto pra São Paulo do que a Fórmula 1, fala sério Serra. Da um tempo vai!!! Por mais que a parada gay seja rica $$$ a formula um é muito mais$$$$$$. Ahh e com um detalhe: patrocínio da iniciativa privada em massa.
Tô com o post da Barbara e não abro!

sandro teixeira disse...

Vamos deixar a hipocrisia de lado e abrir os olhos. Quem realmente se beneficia com essa história de Parada Gay? Acho que vcs já devem saber, principalmente depois de ler o texto de Barbara.

Related Posts with Thumbnails
 
©2007 '' Por Elke di Barros